segunda-feira, 16 de abril de 2018

Cometa

Viação Cometa

Resumo Histórico

No dia 8 de dezembro de 1951, a Viação Cometa S.A. inicia suas operações na linha Rio de Janeiro – São Paulo, com saídas simultâneas das duas capitais às 6h20, 7h20 e 12h20, com ponto final em São Paulo na Avenida Ipiranga, 1051, esquina com a Avenida Campos Elíseos, e no Rio de Janeiro, na Praça Mauá, antes mesmo da inauguração da Rodoviária Mariano Procópio.


Página lançada em 16 de abril de 2018






domingo, 1 de abril de 2018

Rodovia dos Tamoios: acesso seguro e ágil ao litoral norte de SP

31/03/2018 - Portal do Governo 

Duplicação do trecho de Serra impulsiona o desenvolvimento econômico e do turismo da região e do Vale do Paraíba

Com 21,6 quilômetros de novas pistas, a duplicação do trecho de Serra da Rodovia dos Tamoios representa a modernização do corredor logístico para o turismo e economia das regiões do Vale do Paraíba e litoral norte do Estado. Trata-se de um desafio em termos de execução de obras, pois 15,45 quilômetros do trecho são viabilizados por meio de túneis e viadutos, protegendo a flora e fauna da região.

O trecho de Planalto foi entregue duplicado pelo governador Geraldo Alckmin em 2014, ampliando em 98% a capacidade das pistas. O projeto já levou à redução do tempo gasto pelos motoristas para percorrer os 49 quilômetros de extensão entre São José dos Campos e Paraibuna.

Com um traçado moderno, a nova pista será utilizada para atender o tráfego de subida da Serra, sentido São José dos Campos, e contará com duas faixas de rolamento e acostamento, permitindo que o tempo de viagem seja reduzido significativamente. A previsão é de que trafeguem no novo trecho, por dia, cerca de 35 mil veículos.

A pista atual do trecho de Serra será utilizada somente para descida, sentido Litoral, e passa por diversas obras realizadas pela Concessionária Tamoios, muitas delas já concluídas, como ampliação de curvas, iluminação, melhorias do pavimento e sinalização.

Projeto

As obras têm previsão de conclusão para dezembro de 2020, com a geração de 2.238 empregos diretos, incluindo a administração da rodovia. São 22 frentes de trabalho, representando um avanço de 32,28% do total da duplicação.

A duplicação tem 85% da sua área no Parque Estadual da Serra do Mar, o que é um desafio ambiental e de engenharia. Por isso, o projeto é composto por túneis e viadutos, representando cerca de 72% do total da obra, preservando ao máximo a mata e a diversidade ecológica da região.

As intervenções dos Contornos (Norte e Sul), com 33,9 quilômetros e passando pelas cidades de Caraguatatuba e São Sebastião, estão atualmente em construção sob responsabilidade da DERSA – Desenvolvimento Rodoviário S/A. Quando o trecho estiver concluído, passarão a ser administrados pela Concessionária Tamoios.

Preservação

De acordo com o gerente de Meio Ambiente e Segurança do Trabalho da DERSA, Marcelo Arreguy Barbosa, os desafios da duplicação da Rodovia dos Tamoios já começaram no processo de licenciamento ambiental e concepção do projeto, uma vez que o empreendimento afeta comunidades, Unidades de Conservação, áreas com vegetação da Mata Atlântica e rica em animais silvestres.

“Compatibilizar uma obra desse porte com as questões ambientais envolve, inicialmente, a adoção de uma série de medidas preventivas e de controle no projeto de engenharia, tais como estudos de alternativas de traçado, otimização do balanço de materiais e minimização de cortes e aterros, sistema de contenção de produtos perigosos, passagens de fauna, barreiras de ruído, entre outros”, destaca o gerente de Meio Ambiente e Segurança do Trabalho da DERSA.

Executar uma obra da dimensão da Tamoios com o menor impacto ambiental possível, em especial nas áreas de preservação da região, exige a implementação rigorosa dos Programas Ambientais, que buscam controlar e amenizar os impactos. “De maneira geral, o projeto exigiu, principalmente, o controle de processos erosivos e de assoreamento de corpos hídricos, controle da supressão de vegetação, resgate de fauna, flora e arqueológico, controle da poluição, organização e limpeza em canteiros de obra”, explica Marcelo Arreguy Barbosa.

Uma das medidas compensatórias implementadas pela empresa é o depósito de 0,5% do valor do empreendimento a ser destinado a Unidades de Conservação, bem como a restauração florestal em áreas de preservação dos mananciais, por meio do plantio de mudas nativas.

Contornos

A Nova Tamoios Contornos tem a visão de atender as necessidades locais da área, colaborando com o fluxo dos usuários, desviando da área urbana o tráfego de passagem, sobretudo de caminhões, e o trânsito de veículos pesados que seguem para o Porto de São Sebastião.

“Com a Nova Tamoios Contornos, o trânsito rodoviário será deslocado para uma via perimetral, reduzindo o tempo de percurso para 20 minutos. Com mais de 33 quilômetros de extensão, a nova estrada facilitará muito a vida de quem mora ou acessa o litoral norte”, afirma secretário de Estado de Logística e Transportes e presidente da DERSA, Laurence Casagrande Lourenço.

“Além de aumentar a mobilidade na região e o acesso dos turistas, os contornos possibilitarão a chegada mais rápida e segura ao Porto, que terá sua capacidade de movimentação de cargas ampliada, melhorando o escoamento de mercadorias produzidas no Vale do Paraíba e no polo de Campinas, duas das áreas mais desenvolvidas do Brasil”, ressalta o gerente da Divisão de Obras da DERSA, Pedro Paulo Campos.

Atualmente, o empreendimento apresenta 83,95% de avanço. “Os maiores desafios para execução das obras no trecho Contornos são as grandes extensões de túneis construídos, o grande volume de solo mole na região, sendo necessária a execução de diversos aterros estaqueados e a execução de ações próximas a bairros populosos, com topografia desfavorável” acrescenta o gerente da Divisão de Obras da Dersa.

Modelo

Secretários e gestores de outros Estados brasileiros já realizaram visitas à Rodovia dos Tamoios, cuja concessão foi realizada através de Parceria Público-Privada, para conhecer o modelo. Ao promover o evento, o Governo do Estado abriu as portas para dialogar com essas esferas da administração pública que manifestaram interesse em saber mais sobre as com a iniciativa privada.

“Estamos contentes de sermos considerados modelo nos quesitos de segurança administrativa e eficiência operacional. Nossas equipes trabalham com dedicação e foco no usuário”, comenta o presidente da Concessionária Tamoios, Marcelo Stachow.

quarta-feira, 14 de março de 2018

Obras de duplicação do trecho de Serra da Rodovia dos Tamoios estão previstas para terminarem em 2020

13/03/2018 - Agora Vale

São 22 frentes de obras, compreendendo 21,6 km de novas pistas onde cerca de 15,45 km serão viabilizados por túneis e viadutos

A duplicação do trecho de Serra da Rodovia dos Tamoios representa a modernização do corredor logístico estratégico para o turismo e economia das regiões do Vale do Paraíba e Litoral Norte. A duplicação do trecho de Serra compreende 21,6 quilômetros de novas pistas – entre o km 60,4 e o km 82 –, dos quais cerca de 15,45 quilômetros estão sendo viabilizados por meio de túneis e viadutos, protegendo a floresta existente.

A duplicação tem 85% da sua área no Parque Estadual da Serra do Mar, o que é um desafio ambiental e de engenharia. Diante disso, o projeto é composto por túneis e viadutos, representando cerca de 72% do total da obra, preservando ao máximo a mata e a diversidade ecológica da região.  Um dos trechos será desenvolvido com o “Cable Crane”, um modelo de construção que usa um teleférico de carga conduzido por cabos, realizando o transporte de materiais e de pessoas, evitando a abertura de novos acessos dentro da mata. É a primeira vez no Brasil que essa metodologia está sendo empregada e o projeto recebeu o prêmio Eco de Sustentabilidade da Câmara de Comércio Americana e Jornal O Estado de SP.

Com um traçado moderno, a nova pista será utilizada para atender o tráfego de subida da Serra, sentido São José dos Campos, e contará com duas faixas de rolamento e acostamento, permitindo que o tempo de viagem seja reduzido significativamente. A previsão é de que trafeguem por dia no novo trecho cerca de 35 mil veículos. A pista atual do trecho de Serra será utilizada somente para descida, sentido Litoral, e passa por diversas obras realizadas pela Concessionária Tamoios, muitas delas já concluídas, como ampliação de curvas, iluminação, melhorias do pavimento e sinalização.

Com início em 2015, as obras têm previsão de conclusão para dezembro de 2020, e atualmente geram 2.238 empregos diretos, incluindo a administração da rodovia. São 22 frentes de trabalho, representando um avanço de 32,28% do total da duplicação. Para os próximos meses, serão entregues quatro quilômetros de duplicação, entre o km 60,4 e o km 64,4, incluindo a Ponte de Paraibuna.

Inaugurada pelo Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, em agosto de 2017, as obras de construção do Túnel 1 (km 65) da nova pista está com progresso de 18,75% e, quando concluído, terá 2.850 metros de extensão.

O Túnel 5, atualmente com 2.021 metros de extensão e 55% de avanço, que também foi inaugurado por Geraldo Alckmin em abril de 2016, conta com duas frentes de trabalho: uma em Caraguatatuba e outra em Paraibuna, no km 78 da Tamoios. Esse túnel terá 3.696 metros de extensão.

As obras dos Contornos (Norte e Sul), com 33,9 quilômetros e passando pelas cidades de Caraguatatuba e São Sebastião, estão atualmente em construção sob responsabilidade da DERSA -  Desenvolvimento Rodoviário S/A. Quando o trecho estiver concluído, passarão a ser administrados pela Concessionária Tamoios.

sexta-feira, 2 de março de 2018

BR-364, Jaru-RO: Obra de duplicação da travessia é iniciada

02/03/2018 - Diário da Amazônia

Os serviços já iniciaram nesta semana, e de acordo com a empresa responsável pelas obras, o prazo para conclusão é de quatro meses.

A obra de duplicação deve ficar pronta em quatro meses

O trecho da rodovia BR-364, no perímetro urbano de Jaru, precisamente entre as ruas Rio de Janeiro e Maranhão, será duplicado. Os serviços já iniciaram nesta semana, e de acordo com a empresa responsável pelas obras, o prazo para conclusão é de quatro meses.

Na manhã da última quarta-feira (28), o prefeito João Gonçalves Júnior, o vice-prefeito Jeverson Lima, o deputado federal Lúcio Mosquini e o engenheiro da empresa, estiveram no local, onde puderam acompanhar as primeiras ações da duplicação.

Esta obra é resultado de uma ação parlamentar do deputado federal Lúcio Mosquini, que fez gestão junto ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), para conseguir os recursos necessários.

O prefeito ressaltou a importância desta obra para Jaru. “O nosso município está avançando, e essa duplicação impulsiona o desenvolvimento da cidade, além de garantir um tráfego mais rápido e seguro, principalmente para os veículos carregados que transitam por aqui todos os dias”, frisou.

O deputado enfatizou que essa obra foi prometida há mais de um ano, e que agora começa virar realidade. “A duplicação é fundamental para a mobilidade urbana de Jaru, e também para melhorar o embelezamento da cidade”, reiterou Lúcio. (AI).

Richa autoriza início de obras em duas rodovias do Noroeste

01/03/2018 - Agência de Notícias do Paraná

Richa autoriza início de obras em duas rodovias do Noroeste
Estado vai investir R$ 34,9 milhões em 81,5 quilômetros de estradas. A maior parte do recurso será aplicada no trecho da PR-323 entre as cidades de Paiçandu e Cianorte. Haverá ainda intervenções em 20 quilômetros da PR-317. Richa também confirma licitação para a duplicação da PR-323.


O governador Beto Richa autorizou nesta quinta-feira (1º/3) o início dos trabalhos de recuperação emergencial de duas importantes rodovias no Noroeste do Estado. Serão recuperados no total 81,5 quilômetros nas PRs 323 e 317.

O investimento total do Governo do Estado será de R$ 34,9 milhões e as intervenções vão começar já na próxima quarta-feira (7/3). “Dinheiro tem em caixa, valeu a pena a espera. Nós temos recursos próprios para fazer essa obra”, disse o governador Beto Richa.

O maior trecho de obras será na PR-323, entre as cidades de Paiçandu e Cianorte. Serão 60,8 quilômetros de conservação e o Governo do Estado vai investir R$ 27,2 milhões nos próximos meses. Na PR-317, entre Maringá e Iguaraçu, o investimento será de R$ 7,7 milhões para os 20,7 quilômetros de melhorias.

“A ordem de serviço para o início das obras de recuperação desse trecho foi autorizada hoje. Vai ser um grande alívio para população que poderá transitar em uma estrada em boas condições”, destacou Richa.   

PR-323 – O governador Beto Richa reafirmou que a duplicação da PR-323 é prioritária para Governo do Paraná. Segundo ele, o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) está finalizando alguns processos administrativos e a expectativa é lançar a licitação do Lote 1, entre Paiçandu e Doutor Camargo, ainda na primeira quinzena de março.

A estimativa preliminar de custos para esta etapa da duplicação é de R$ 200 milhões. Serão 20,7 quilômetros de novas pistas, além de três obras de arte especiais.

Segundo Richa, ainda neste primeiro semestre deve acontecer a licitação do próximo lote, que compreende quase quatro quilômetros a serem duplicados no perímetro urbano de Umuarama. Os engenheiros do DER-PR estudam ainda a sequência das duplicações.

Outro trecho do projeto que está sendo negociado com o consórcio Rota das Fronteiras totaliza 20,8 quilômetros de extensão, entre Doutor Camargo e Jussara. Porém, para duplicar toda a extensão entre os dois municípios, faltariam 4 quilômetros da variante do Rio Ivaí, que ainda dependeria da licitação do projeto.

Por causa dos engarrafamentos e do volume grande de veículos, também está sendo analisada pelo DER-PR a possibilidade de duplicar 20,2 quilômetros no perímetro urbano de Cianorte. Para viabilizar esta obra, seria necessário primeiro licitar o projeto.

NOVA DUPLICAÇÃO - A Secretaria de Infraestrutura e Logística e o DER estão trabalhando para incluir a duplicação de 20,7 quilômetros da PR-317, entre Maringá e Iguaraçu. “Já colocamos no Programa Estratégico de Infraestrutura e Logística de Transporte, financiado pelo BID e com contrapartida do Governo do Paraná”, disse o secretário da pasta, José Richa Filho.

Um edital de chamamento público está publicado para que as empresas interessadas em realizar a obra se candidatem até 8 de março para participar do processo. Essa primeira fase de contratação seria para a elaboração do projeto. As obras acontecerão na sequência, com custo preliminar de R$ 200 milhões.

RECUPERAÇÃO E CONSERVAÇÃO – O Governo do Estado vai investir outros R$ 90 milhões em melhorias de 306,8 quilômetros de estradas na região de Maringá. As obras preveem recuperação profunda de camada asfáltica. Para o trabalho de conservação de quase 350 quilômetros de rodovias a região vai receber investimentos R$ 84 milhões nos próximos três anos.

Uma das principais obras rodoviárias executadas no Estado recentemente foi a duplicação do trecho da PR-323 entre Maringá e Paiçandu. O projeto de 3,48 quilômetros recebeu investimentos de R$ 39,9 milhões e melhorou consideravelmente a circulação entre os dois municípios, trazendo mais segurança a moradores e motoristas.

PRESENÇAS - Também participaram do evento a vice-governadora Cida Borgjetti; os secretários estaduais da Infraestrutura e Logística, José Richa Filho; do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Luiz Carlos Bonetti, da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara; da Saúde, Michele Caputo; o ministro da Saúde, Ricardo Barros; os presidentes da Copel, Antônio Guetter, e da Sanepar, Mounir Chaowiche; o deputado federal Alex Canziani, os deputados estaduais Maria Victoria e Evandro Júnior; a presidente da OMF, Deisi Kustra, e o diretor geral do Hospital Pequeno Principe, José Álvaro Carneiro.

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Goiás terá novas praças de pedágio em seis rodovias estaduais

07/02/2018 - Mais Goiás 

Os trechos deverão sofrer modificações e a Agetop ficará responsável pela realização do concurso, bem como a fiscalização

Do Mais Goiás

Goiás terá novas praças de pedágio em seis rodovias estaduais
Goiás terá novas praças de pedágio em seis rodovias estaduais
GO-020 terá pedágios entre Goiânia e Catalão (Foto: Divulgação)

Seis rodovias estaduais serão equipadas com praças de pedágios. A decisão se deu após o governador Marconi Perillo (PSDB) sancionar, na última segunda-feira (5), lei que dá ao Poder Executivo o direito de conceder trechos das GOs 010, 020, 060, 070, 080 e 213 à iniciativa privada.

De acordo com o texto publicado no Diário Oficial do Estado nesta quarta-feira (7), as concessionárias vencedoras da licitações ficarão responsáveis pelos serviços de operação, manutenção, conservação, monitoramento e implantação de obras de infraestrutura e outra melhorias nas rodovias privatizadas.

Veja os trechos que serão privatizados:

Rodovia

Trecho Total de Km’s

GO-010 - Goiânia- Entrocamento com a GO-330 - 54

GO-020 - Goiânia/Bela Vista/Cristianópolis/Pires do Rio/Catalão - 251

GO-060 - Goiânia/São Luís de Montes Belos/Iporá/Piranhas - 309

GO- 070 - Goiânia/cidade de Goiás - 118

GO-080 - Goiânia/São Francisco de Goiás (entroncamento da BR-153) - 91

GO-213 Morrinhos/Caldas Novas - 61

O trecho entre Morrinhos/ Caldas Novas deverá ser o primeiro a ser duplicado e o prazo de cumprimento das obras será de dois anos após assinatura do contrato. O trecho de Bela Vista/ Cristianópolis e o trecho entre Trindade/ São Luís dos Montes Belos deverão ser duplicados em até três anos após assinatura.

Já o trecho entre Cristianópolis e Pires do Rio deverá ser duplicado em cinco anos. Já o prazo de duplicação do trecho entre São Luís dos Montes Belos e Iporá será de seis anos. Oito anos será o limite para a realização da duplicação entre Pires do Rio e Catalão.

A concessão do trecho da GO-080 fica condicionado à realização de uma nova rodovia, pela concessionária vencedora, entre a BR-153 e a GO-080. As praças de pedágios têm que ficar em um limite superior a 30 quilômetros de distância entre uma e outra, a partir da divisa de Goiânia com os demais municípios.

Ainda de acordo com a publicação, o governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas (Agetop), ficará responsável pela realização e organização do certame licitatório, bem como a fiscalização sobre os serviços realizados nas rodovias. Os contratos terão validade de 35 anos e poderão ser renovados caso atendam as exigências estabelecidas pelo governo.

Preço

O texto não cita o valor específico, mas ressalta que as tarifas e regras de ajustes e revisão serão fixadas nas conformidades do edital. Na publicação, fala-se também que os reajustes se darão anualmente e que variarão de acordo com as funções, características e dos custos específicos dos serviços de cada rodovia. O estado de conservação da rodovia também pesará no reajuste.

Duplicação de trecho entre Cuiabá à Serra de São Vicente deve ficar pronto em 2018

07/02/2018 - Agro Olhar

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

Duplicação de trecho entre Cuiabá à Serra de São Vicente deve ficar pronto em 2018
Foto: Assessoria DNIT

A duplicação do trecho de aproximadamente 71 quilômetros entre Cuiabá e a Serra de São Vicente, na Rodovia BR-364/163, deve ser concluída até o fim deste ano. A informação foi confirmada ao Agro Direto pelo diretor de Infraestrutura Rodoviária do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antônio Ehret Garcia.

O projeto do Dnit é de que a duplicação com pavimento de concreto chegue até a cidade de Rondonópolis. A obra, segundo Garcia é uma das principais de Cuiabá e que ao ser concluída irá trazer mais facilidades para o transporte de cargas em carretas e para o lazer.

“Esta é a obra mais importante que o Dnit está tocando no estado e já temos até o momento 110 quilômetros dos 174 de Cuiabá a Rondonópolis já duplicados. Iremos estar liberando ainda neste mês de fevereiro mais 20 quilômetros de pista nova em concreto,  que é um pavimento com vida útil muito maior  entre os dias 20 e 28 deste mês”, confirmou o diretor do Dnit.

“Estamos trabalhando bastante para que até o final deste ano tenhamos uma boa parte dos 174 quilômetros duplicados para que tenhamos uma melhoria na trafegabilidade da rodovia”, declarou.

Com a entrega deste novo trecho de 20 quilômetros de pavimento, os veículos vão passar a usar a pista nova construída em concreto para que a empreiteira faça trabalhe na reconstrução da pista antiga que está sendo atualmente utilizada. Nela será retirado o asfalto e terá a aplicação do concreto.  

O diretor do Dnite também pontuou que com finalização do trecho ainda neste ano, a rodovia vai estar duplicada desde a saída da capital até a cidade de Jaciara, o que pode conseqüentemente fomentar o turismo na região.

“Temos um potencial turístico enorme em Jaciara. Eu sou cuiabano e só vou a Jaciara a trabalho. Nunca fui a lazer, por que só de você pensar em pegar esta estrada com bastante carretas e bitrens de Cuiabá até lá dá uma desanimada. Ai a pessoa pensa melhor e vai para Chapada, mas em Jaciara temos cachoeiras belíssimas, temos esportes radicais. Temos uma série de lazer e de turismo. Temos águas termais e isso não acaba sendo atrativo por causa do trânsito”, avaliou.

Para Garcia, caso não haja nenhum imprevisto, a rodovia o trecho de Cuiabá à serra deve ser finalizado até o fim do ano. “Se o planejamento der certo e não haver nenhum problema de contingenciamento de recursos, iremos sim conseguir concluir este trecho de Cuiabá até São Vicente com a pista nova no final neste ano de 2018”, concluiu.

A previsão do Dnit é de concluir e entregar a obra de Cuiabá à Rondonópolis no primeiro semestre de 2019.