sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Duplicação de BRs movimenta a economia


31/8/2010
Jornal da Paraiba (PB)

A duplicação de uma rodovia exige muito tempo e altos investimentos financeiros e é capaz de proporcionar mais conforto para quem trafega. No entanto, para economistas, obras de duplicação são capazes de ir mais além que o conforto e a melhoria do fluxo, podem ajudar a movimentar a economia de todo um Estado, aumentando a entrada de turistas e a circulação de veículos de carga.
  
A Paraíba é cortada por mais de 1.200 quilômetros de rodovias federais, dos quais cerca de 120 quilômetros estão duplicados na BR-230 e 129 quilômetros fazem parte das obras de duplicação da BR-101, que estão em andamento e deverão ser concluídas até dezembro deste ano, conforme previsão feita pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Nas obras de duplicação da BR-230, foram investidos R$ 67,6 milhões e na BR-101 estão sendo investidos aproximadamente R$ 600 milhões.

Para o economista Rafael Bernardino, a longo prazo, os investimentos realizados em obras de duplicação retornam através de mais desenvolvimento econômico para o Estado. "A duplicação de uma rodovia é de fato economicamente importante, além de melhorar o fluxo do trânsito, significa redução de custos para o viajante particular, porque o trânsito flui melhor e o viajante gasta menos combustível. Além disto, os veículos de carga chegam mais rapidamente ao seu destino e isto também é economicamente importante", comentou.
  
No caso das obras da BR-101, que estão em andamento, o economista destaca que com a conclusão da duplicação poderá haver um grande aumento no fluxo turístico, mas por outro lado, o comércio da capital poderá registrar perdas caso os lojistas não invistam em preços competitivos. "Há uma coisa especial em João Pessoa, porque a cidade está muito próxima do Recife (capital de Pernambuco). Com a duplicação, o tempo de viagem deverá ser reduzido e muitas pessoas que moram na Paraíba poderão preferir fazer compras em Pernambuco. Por outro lado, há um potencial de aumento de turismo e uma coisa pode compensar a outra. O ganho com o turismo pode ser até mais significativo, mas as perdas do comércio também vão depender muito da competência de nossos comerciantes, se eles oferecerem preços baixos, acredito que as pessoas não vão pensar em viajar para fazer compras", analisa.
O economista destaca ainda que durante as obras para a duplicação das rodovias, também há incentivo para o emprego local, apesar das empresas contratadas pelo serviço serem de outros Estados.
  
Para Bernardino, quem realmente sente as perdas com a melhor trafegabilidade são os comerciantes que se instalam às margens da BR. "Em restaurantes às margens da rodovia, o movimento tende a diminuir, porque com o trânsito mais rápido as pessoas tendem a fazer menos paradas", comentou.
  
E estas perdas já são sentidas por Rosenilda Cordeiro, que há cerca de dez anos trabalha com o marido vendendo frutas na margem da BR-101, próximo ao município de Alhandra. A duplicação do trecho onde fica a barraca de Rosenilda já foi concluída e liberada. "Quando era mão dupla, os carros que iam e vinham paravam. Agora que está duplicado só quem está no sentido onde a barraca está que compra alguma coisa", relatou acrescentando que antes ganhava de R$ 200 a R$ 300 por mês vendendo frutas e agora nem sabe mais precisar o quanto ganha, porque chega a passar dias sem vender nada.
  
De acordo com o superintendente regional do Dnit, Gustavo Adolfo Andrade de Sá, já estão previstas novas obras de duplicação para o Estado: está sendo elaborado o termo de referência para a duplicação de mais 58 quilômetros da BR-230, no trecho de Campina Grande a Soledade, e saem breve deverá ser assinado um convênio com o governo do Estado para a duplicação de 70 quilômetros da BR-104, de Campina Grande até a divisa com Pernambuco. "Para a duplicação da BR-104 será investido em torno de R$ 280 milhões. Com a duplicação será beneficiado todo o escoamento da produção da Paraíba para outros Estados do país e do resto do país para a Paraíba", comentou.
  
As novas obras foram ratificadas pelo ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, em sua visita à Paraíba na semana passada para vistoriar as obras da BR-101. "São obras significativas para o Estado da Paraíba e o que nós desejamos é continuar neste ritmo de realização de investimentos que beneficiam o Estado, que estimulam o seu desenvolvimento econômico", destacou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário