segunda-feira, 1 de novembro de 2010

R$ 290 milhões serão investidos na obra de duplicação da BR 135

30/10/2010 - O Estado do Maranhão - Yane Botelho

O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, autorizou, na manhã de ontem, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) a dar início à licitação as obras de duplicação do trecho da BR-135, considerado o mais perigoso, que vai de Estreito dos Mosquitos, em São Luís, até o município de Bacabeira. A permissão para a abertura de concorrência foi assinada pela governadora Roseana Sarney e pelo ministro, durante inauguração do trecho duplicado da mesma rodovia no acesso ao Porto do Itaqui a partir de Pedrinhas, em São Luís.

Com um investimento de R$ 65 milhões, a duplicação do trecho de 15,4 quilômetros da BR-135, que liga os grandes portos de São Luís ao Distrito Industrial, área de grande tráfego de veículos e cargas pesadas, foi iniciada em dezembro de 2008 e atende a uma demanda histórica do Estado. Ao longo da estrada estão instalados vários empreendimentos e outros em fase de implantação, como a Usina Termelétrica Porto do Itaqui da empresa MPX.

O ministro aproveitou o ato para anunciar o comprometimento com a duplicação de outros dois trechos da BR-135, de Entroncamento até Miranda do Norte. “É uma obra indispensável para o Governo Federal. Duplicar a rodovia até Miranda do Norte é prioridade para o novo Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC II”, assinalou Passos. Ele também enfatizou a importância das obras de ampliação da Estrada de Ferro Norte-Sul – 215 quilômetros de linha ferroviária se conectam à Estrada de Ferro Carajás, permitindo o acesso ao Porto de Itaqui, em São Luís. “O trecho maranhense vai ser a grande espinha dorsal da malha ferroviária do Brasil. Servirá de tronco alimentador para dar escoamento ao grande volume de produção do país”, frisou.

Desenvolvimento - A governadora Roseana Sarney destacou a fase de crescimento do estado e a importância da realização dos serviços de infra-estrutura. “O Maranhão está se desenvolvendo graças à infra-estrutura de transporte das nossas estradas, portos e ferrovias. Essa inauguração representa a continuidade das obras, ações e investimentos em nosso estado e assegura a implantação de novos empreendimentos”, afirmou a governadora.

O projeto de duplicação até Bacabeira integra o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC I). O documento de autorização será analisado pela Procuradoria Geral da União. O DNIT terá um prazo de 15 dias para se adaptar às recomendações feitas pelo ministro, antes de anunciar a publicação do edital, o que deverá ocorrer dentro de 30 dias. O valor da obra, que inclui o deslocamento da Estrada de Ferro São Luís-Teresina (EFSLT) e a construção de uma nova pista da rodovia e um viaduto dentro de Bacabeira, deve ficar fixado em R$ 290 milhões, com extensão de 28 quilômetros. Desse valor, R$ 100 milhões serão utilizados somente para a construção da nova ferrovia.

Caberá ao DNIT estabelecer previamente no edital as garantias para assegurar a execução do contrato e cumprimento das obrigações que forem assumidas pela empresa que vencer o processo licitatório. A previsão é de que o resultado seja conhecido entre fevereiro e março do próximo ano. Porém, de acordo com o superintendente do DNIT, Gerardo Fernandes, as obras devem ser iniciadas após o período chuvoso, ou seja, em março de 2011.

Nova pista deve reduzir o número de acidentes na BR

O trecho que será duplicado é considerado de alto risco. Por ele circulam diariamente 17 mil veículos. Os registros de acidentes automotivos com mortes são constantes, especialmente no Campo de Perizes, única ligação rodoviária da Ilha de São Luís com o continente. Além de ficar ao lado de torres de alta-tensão da Eletronorte, a via não dispõe de acostamento e é limitada por duas estradas de ferro (Estrada de Ferro Carajás e EFSLT) e pela adutora do Sistema Italuís.

A duplicação do trecho Estiva/Bacabeira deve pôr fim aos engarrafamentos na entrada de São Luís, trazer mais segurança no tráfego e promover a melhoria do acesso ao Porto do Itaqui. O projeto beneficiará, além de Bacabeira, cidades vizihas em toda a região do Baixo Munim, como Rosário, Presidente Juscelino, Morros, Axixá e Icatu.

A duplicação completa da BR-135 prevê a implantação de pista dupla em outros dois trechos que vão de Bacabeira a Entroncamento e de Entroncamento a Miranda do Norte. A obra favorecerá megaprojetos na área de influência direta da BR-135, a exemplo da Refinaria Premium I, da Petrobras, em Bacabeira, que será instalada à margem esquerda da rodovia, entre o km 51 e o km 53, com acesso principal pela BR-402, na altura do km 3. A estimativa é de que o tráfego na BR-135 aumente em 30% com a instalação da refinaria, prevista para 2015.

Números

28 quilômetros Extensão do trecho da BR 135 a ser duplicado

R$ 290 milhões Orçamento previsto para a construção da nova pista, trecho Estiva/Bacabeira, incluindo um viaduto em Bacabeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário