quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Inaugurada duplicação de 26 km que levou 4 anos

22/12/2010 - O Globo

Mesmo estando a quilômetros de distância, na Estação Baiana do teleférico do Complexo do Alemão, o presidente Lula participou, por transmissão simultânea, da inauguração de duplicação da Rodovia Rio-Santos, entre Santa Cruz e Itacuruçá. As obras nestes 26 quilômetros, que se arrastaram por quatro anos, custaram R$ 245 milhões, com recursos do PAC. 

No telão, o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, direto da estrada, anunciou ao público presente no Alemão que outros 160 quilômetros da BR-101 Sul serão duplicados e que fará uma reforma geral da Avenida Brasil. 

"No PAC 2 já está prevista a duplicação desde Mangarati-ba até a divisa entre o Rio e São Paulo. Portanto, mais 160 quilômetros. Por outro lado, também estão contidas no PAC 2 as obras de ampliação de capacidade da Avenida Brasil, de Santa Cruz até o Caju. Vamos repaginar a avenida, que é o grande portal de entrada do Rio", disse o ministro.

O governador Sérgio Cabral ressaltou que a duplicação significará desenvolvimento econômico e turístico. "Não foi uma obra fácil. Exigiu muitas pontes, muitas desapropriações. Não é fácil tirar uma obra dessas do papel. Como político, em 20 anos, ouvi vários presidentes prometerem essa obra e não fazerem", destacou.

Lula diz que conheceu a estrada antes da obra

O presidente Lula contou que conheceu a estrada de perto antes da duplicação. "Lembro que quando fui na casa do Sérgio, em Mangaratiba, choveu, e o helicóptero não pôde nos buscar. Fui de carro e vi como estava a rodovia"

O Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit) vai licitar, em 2011, o projeto executivo para a duplicação de Itacuruçá até Paraty, que será feito ao longo de 18 meses. Em janeiro, o Dnit dá início às obras de restauração do trecho de 100 quilômetros entre Angra e Paraty. Os novos prazos foram anunciados ontem pelo superintendente do Dnit no Rio, Marcelo Cotrim.

"As obras de restauração do trecho Angra-Paraty são muito importantes porque o estado da rodovia naquele trecho, onde fica a usina nuclear, está muito ruim. As obras já foram licitadas e começam imediatamente", afirmou.

O projeto executivo da nova duplicação vai abranger somente o primeiro lote, entre Itacuruçá e o entroncamento com a RJ-155 (Angra-Lídice), logo após o trevo de acesso a Angra. Além de atender ao turismo, a duplicação também vai atender ao movimento do novo aeroporto que será construído no Sul Fluminense e ao Porto de Angra dos Reis, que está sendo ampliado e modernizado.

"O Dnit não pode descuidar um minuto da conservação do trecho entre Itacuruçá e Angra, onde a fragilidade da encosta favorece os escorregamentos de terra", alertou o prefeito de Angra, Tuca Jordão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário