segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Projeto estadual pode ser alternativa à duplicação da BR-470 em SC

13/1/2011 - CNT

Foto:James Tavares/ Secom
Governador de SC discute a duplicação da rodovia

A construção de uma rodovia estadual ligando o oeste catarinense ao litoral do estado, na altura da BR-101, pode ser uma alternativa à duplicação da BR-470, no Vale do Itajaí. A proposta apresentada há cinco anos pela Federação das Empresas de Transporte de Carga do Estado de Santa Catarina (Fetrancesc) é uma das opções em estudo no grupo técnico criado pelo governador Raimundo Colombo para discutir o assunto.

Prevista no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a obra de duplicação da BR-470 é estimada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (Dnit) em um bilhão de reais. A previsão do diretor-geral do Dnit, Luiz Antônio Pagot, é de que o edital de licitação seja lançado no segundo semestre de 2011.

O trecho de 74 km entre Navegantes e Indaial está com o projeto em fase de elaboração pelo órgão, que já enviou ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) o relatório preliminar do EIA/Rima, necessário à obtenção da Licença Prévia Ambiental.

Mais adiantado que o da BR-470, o processo de licitação para a duplicação de 74,6 km da BR-280 (São Francisco do Sul a Jaraguá do Sul) deve ser remarcado este mês, em consequência da revisão do edital. O custo da obra é calculado pelo Dnit em R$ 945 milhões.

Pagot informou nesta quinta-feira (13), por meio de nota da assessoria, que “o início das obras dos dois empreendimentos está previsto para 120 dias após a publicação das respectivas licitações, se ambas acontecerem dentro da normalidade do processo licitatório”.

Ampliação

Planejada para escoar tráfego de seis mil veículos diários, a BR-470 recebe atualmente 35 mil veículos por dia, incluindo o fluxo de turistas que visitam o estado a cada temporada . 

Defensor de solução rápida para o gargalo na rodovia, o presidente da Fetrancesc, Pedro Lopes, conta que o projeto de construção de uma nova estrada, a SC-280, surgiu há cinco anos. Na época, outra proposta em discussão previa a delegação da rodovia federal ao governo estadual para posterior concessão à iniciativa privada, em troca da cobrança de pedágio. 

“Em termos de estrutura, o mais viável seria a construção de uma rodovia alternativa. Ela seria moderna, duplicada, com traçado em linha reta. Teria exploração econômica das margens e o pedágio seria por quilômetro rodado”, afirma Lopes, em entrevista à CNT. 

A nova rodovia sairia de Pouso Redondo, na região central do estado, até a BR 101, de onde alcançaria os portos de Itajaí e Navegantes. De lá, teria um braço para o sul, até o porto de Imbituba, e outro para o norte, até os portos de São Francisco e Itapoá. O trajeto total seria de 260 quilômetros.

“Nós já teríamos hoje investidores dispostos a aplicar recursos nesses dois projetos”, garante o presidente da Fetrancesc, em relação às duas possibilidades existentes. Pedro Lopes observa que o estado de Santa Catarina recebeu quatro milhões de turistas na última temporada e diz que a Copa do Mundo de 2014 é uma das grandes preocupações do setor em relação à melhoria da infraestrutura no estado.

O pleito em relação ao projeto da BR-470, assim como as opções em estudo, devem ser apresentados ainda este mês pelo governador, durante reunião em Brasília. 

Sueli Montenegro
Redação CNT

Nenhum comentário:

Postar um comentário