quarta-feira, 9 de março de 2016

Itapemirim pede recuperação judicial


08/03/2016 07:40 - Valor Econômico

João José Oliveira / São Paulo

A empresa de transporte rodoviário Itapemirim, fundada em 1953, protocolou ontem pedido de recuperação judicial, na 13ª Vara Cível Especializada Empresarial de Vitória (ES). A dívida é de R$ 336,5 milhões.

O pedido envolve as empresas Viação Itapemirim; Transportadora Itapemirim; ITA, Imobiliária Bianca; Cola Comercial e Distribuidora; e a Flecha Turismo Comércio e Indústria. "É uma empresa com 60 anos de história que está sofrendo com a crise, e que quer resolver a situação e continuar servindo o país", disse ao Valor o advogado Gilberto Giansante, sócio da Giansante Advogados Associados, contratada para o processo de recuperação judicial da Itapemirim.

A companhia tem, a partir da decisão de juiz que avaliará se aceita ou não o pedido de recuperação judicial, 60 dias para apresentar o plano de recuperação aos credores - que deve ser votado em assembleia em seis meses. O processo é comandado pelo presidente da Itapemirim, Camilo Cola Filho.

Da dívida de R$ 336,5 milhões, uma fatia de R$ 42,7 milhões são dívidas trabalhistas, R$ 124 milhões são compromissos com garantia real (como imóveis, por exemplo), outros R$ 166 milhões de credores comuns (sem garantia) e ainda R$ 3,5 milhões devidos a micro e pequenas empresas.

Em nota, a Itapemirim afirmou que "a medida foi tomada principalmente pelo agravamento da conjuntura financeira e econômica pela qual passa o país e considerada a melhor decisão em razão do quadro atual".

A Itapemirim e as empresas da família Cola empregam 1,6 mil pessoas. Em 2014, a empresa transportou 3,2 milhões de passageiros, atendendo dois mil municípios em 22 Estados. Desde meados daquele ano, a companhia enfrenta a retração nos negócios. Em junho de 2015, a empresa vendeu 40% da frota e transferiu mais da metade das linhas em operação para a Viação Kaissara, também do Espírito Santo, ficando com as 68 linhas atuais.

Segundo a Associação Brasileira de Transporte Terrestre de Passageiros (Abrati), a demanda pelo transporte interestadual de passageiros encolheu 7,8% em 2015 em relação a 2014.

O número de recuperações judiciais requeridas no primeiro bimestre de 2016 foi 116,4% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, segundo a Serasa Experian. Foram 251 ocorrências - o maior para o acumulado do primeiro bimestre desde 2006.

Nenhum comentário:

Postar um comentário