segunda-feira, 19 de abril de 2010

Ponte que não sai preocupa Noroeste



19/4/2010
Zero Hora (RS)

A demora na definição sobre qual empresa fará o estudo da viabilidade para a construção de uma ponte ligando o Rio Grande do Sul e a Argentina, aflige moradores do Noroeste. No dia 23 de fevereiro, três empresas apresentaram propostas para realizar a avaliação.
   
A análise deverá apontar qual local é o mais adequado para a construção da ponte. São três as alternativas onde poderá ser erguida a terceira ligação Brasil-Argentina: entre Alvear e Itaqui, na Fronteira Oeste, ou Alba Posse e Porto Mauá, na região Noroeste, ou ainda entre San Javier e Porto Xavier, nas Missões.
   
No dia 5 de maio, durante a Feira Nacional da Soja (Fenasoja), a Fundação Pró-Construção da Ponte Internacional Alba Posse-Porto Mauá deverá reclamar da demora ao ministro João Luiz Pereira Pinto, do Departamento da América do Sul do Ministério das Relações Exteriores.
- Para a empresa fazer o serviço tem prazo, mas para o fim do processo de licitação não tem - diz o presidente da fundação, Airton Bertol da Silva.
   
Em Porto Xavier, a indefinição também gera ansiedade.
   
- Já era para ter sido definido. No site do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), não encontramos informações - comenta o secretário da Comissão Pró-Ponte Porto Xavier, Lino Pauli.
   
Três empresas disputam a realização do estudo. A que vencer terá 230 dias para concluir os relatórios, a partir da assinatura do contrato.
   
Segundo o Dnit, o processo de licitação está andamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário